“Eu gosto de abraçar. Abraços são calmos, serenos ou podem ser fortes, esmagantes. Abraços transmitem segurança. Abraçar me faz rir, chorar. Abraços me emitem sentimentos. E são esses sentimentos que me tornam frágil. Abraços exalam amor. Abraços transportam para outra dimensão. Abraçar é ceder. Ceder àquilo que pesa. Abraçar é sentir-se mais leve. Abraços são suportes. E é por meio destes que eu viajo para longe. É por meio dos abraços que por segundos consigo ter paz; consigo ser paz. Abraçar é acalentar, é aconchegar. Então, aconchegue-se e inale um pouco de ternura. Ternura que vem de dentro. Ternura que estima, que chama, que flama. Abrace.”
Sou um ser feito de barro, apenas.  (via amortuador)
“Eu me lembro da primeira vez que eu te vi, seu cabelo estava com duas tranças ao invés de uma. Eu também lembro quando você cantou na aula de música, a professora perguntou “Quem conhece a canção do vale?” e você levantou a mão, depois disso, eu ficava olhando você ir pra casa… todos os dias.”
Jogos Vorazes. (via ateliou)
“Eu gosto das pessoas, gosto da maneira como elas acham que entendem a vida. Gosto principalmente daquelas que acham serem únicas, é, eu tenho uma mania de gostar das coisas da vida; Gosto quando me entendem, mas gosto mais ainda quando duvidam de algo e eu provo o contrário, gosto de ser contraditório. Gosto também quando perguntam se estou bem, e isso só prova que não me conhecem por mais que se esforcem, eu gosto de saber que sou desconhecido. Gosto de não saber quantas estrelas existem no céu, não me importo se existe uma infinidade, na noite seguinte lá estou, contando-as; Como se um dia fosse conseguir terminar. Gosto também de saber que não terminarei, pois elas de longe se não únicas são minhas melhores companheiras; E eu gosto de perceber a maneira como isso soa estranho para os comuns, é, eu gosto de ser incomum. Eu gosto de perceber a vida, mas gosto mais ainda é de perceber que a minha vida passa despercebida.”
Anderson Babinski.    (via amortuador)
“Mas por que Alasca?”, perguntei. Ela sorriu com o canto direito da boca. “Bem, depois eu descobri o que significava. É uma palavra de origem aleúte, Alyeska. Significa ‘aquilo em que o mar bate’, e eu adorei. Era grande, como eu queria ser.
John Green   (via conturba-r)
“Pode apostar, a próxima vez que a gente se encontrar, se é que isso ainda vai acontecer, será um sinal de que você resolveu tudo e decidiu ficar só comigo pra valer. Então, se você e eu nunca mais nos vermos, é porque… você sabe.”
Gabito Nunes.  (via pr0ibida)
“O que definitivamente não dá certo, ao menos para mim, é se apaixonar.”
Tati Bernardi.  (via conturba-r)
“Se tiver que amar, ame hoje. Se tiver que sorrir, sorria hoje. Se tiver que chorar, chore hoje. Pois o importante é viver hoje. O ontem já foi e o amanhã talvez não venha. (André Luis)”
Psicografia de Chico Xavier. (via a-ti-darei-meu-sorriso)
“Hoje sinto saudades do que vivi ao seu lado.”
Versadas. (via nuveando)
“Enquanto você dormia, eu ficava ali, no silêncio da noite, sentindo sua respiração; planejando um futuro bom pra nós dois.”
I’ll never stop loving you.  
“Era aquele sorriso encantador que me levava as nuvens.”
Eduarda Cavalcanti, injuriass.

suffixyou